Voltar
...........................................................
Há muito tempo eu me queixo de que meus artigos são recusados pelos editores de publicações científicas. Não vou fingir e dizer que no fundo, eu não saiba o porquê. A razão é simples, eu escrevo a respeito de assuntos que estão na fronteira do conhecimento humano, e isso representa muito poder e muito dinheiro e pode ser visto como inconveniente... Ademais os meus artigos esbarram a todo o momento em assuntos de conhecimento proibido.
.........................................................................................

Um artigo fala de um aprimoramento no controle de mísseis. Instrumentação e Controle era uma de minhas paixões na faculdade. A velocidade de um míssil ar-ar é comparável a do avião de caça que ele persegue, mas o pouco combustível que carrega limita muito a sua ação. Qualquer melhora no sistema de controle pode significar acerto e deixar de perder um míssil de custo altíssimo impondo ao inimigo a perda de uma aeronave de custo maior ainda. Mas este artigo, se publicado poderia ser classificado como sigiloso.
.........................................................................................

Em outro artigo escrevo a respeito de codificação, baseado nos conhecimentos de Termodinâmica (entropia) e Teoria dos Números de forma a ser possível um código não quebrável até pelos tão decantados computadores quânticos.

Quem publicar pode responder processo na Justiça.

Ninguém quer publicar, se alguém publicar pode ser punido.

Um belo dilema.

Eu só posso escrever artigos mornos, desinteressantes e aparentemente absolutamente inúteis, caso contrário alguém pode protestar!

Tentei colocar na Wikipédia palavras chaves que dessem ao leitor desinformado uma idéia imediata do que se tratava. Vamos examinar um exemplo concreto: Beluz. Esta palavra foi tirada da Wikipédia sob a alegação de que se trata de: "Teoria própria, aparentemente não publicada também em nenhum artigo científico respeitável". No entanto a Wikipédia traz o verbete Kryptonita, um elemento químico misterioso que enfraquece o Super-Homem.

Eu não tenho a certeza de nada do que está escrito neste meu site. A rigor, nenhum homem de Ciência tem a certeza da veracidade de nenhuma, absolutamente nenhuma Lei da Física. Mais cedo ou mais tarde ela será derrubada e um novo conceito tomará seu lugar. Assim caminha a Física.

Para entender que eu não sou um amador basta ler na minha biografia, neste site, examinar minha vida acadêmica e concluir que se trata de um homem devotado aos estudos.

O que falta então?

Falta uma ligação acadêmica mais clara, uma Universidade ou centro de pesquisas que endosse o que tenho escrito.

Em todo caso vou colocar um pouquinho de pimenta.

Em primeiro lugar uma pequena confidência: quando eu me formei em engenharia em 1970 fui convidado a participar de um projeto que trataria de Física Nuclear. Eu não quis participar, por razões de foro íntimo. Em 1967 eu perdi minha noiva em um crime passional. Se ela não tivesse morrido, possivelmente eu teria me integrado aos quadros da Aeronáutica e provavelmente o Brasil teria avançado muito em Física Nuclear, naquela época eu já sabia construir uma bomba atômica rudimentar de Urânio. Os meus colegas militares, com os quais convivi por cinco anos dia e noite,conheciam os meus gostos. Confidenciei o que acabo de escrever para uns poucos e fui ouvido com descrédito. Eu me silenciei, como devia me silenciar. Durante o Governo Collor o mundo ficou conhecendo as pretensões da Aeronáutica em relação à bomba atômica, quando o próprio presidente entupiu um poço para provas de bombas atômicas na Serra do Cachimbo. Quanto ao convite que me fizeram, eles sabiam o que estavam fazendo.

Fiz estágio no último ano de faculdade na GM. Lá eu desenvolvi um trabalho brilhante, mas queria introduzir eletrônica no controle dos motores da Chevrolet. Foi me dito que nunca um motor mecânico seria controlado por dispositivos eletrônicos. No ano seguinte, já fora da GM, trabalhando com colegas na Cibertron, uma pequena empresa da qual era sócio, produzimos uma ignição eletrônica por descarga capacitiva. Era o começo do fim do platinado. Para mim uma grande vitória: minha tese estava certa. A empresa infelizmente não vingou, mas hoje todos os motores automotivos são controlados por sofisticados dispositivos eletrônicos.

Eu estava absolutamente certo!

Nos últimos quarenta anos ninguém pode produzir um trabalho independente em Física Moderna. As próprias bombas atômicas muito pouco evoluíram neste período. Foi preciso trabalhar sob sigilo absoluto, não se podia trocar informações com quem quer que seja, e aqueles que se dedicaram à Física Moderna viveram em um isolamento maior do que o meu, que tinha pelo menos um pouco de liberdade para viver e criar meus filhos.

Não me queixo e nunca me queixei de minha vida.

No entanto são quase quarenta anos de estudos solitários...

A importância econômica de Beluz é inimaginável.

O laser é usado na codificação de informações nos CDs e DVDs, em medidores de distância ultra precisos capazes de medir a distância terra-lua com precisão incrível, usado nos sensores de sistemas inerciais de aviões comerciais e militares, nos estudos de temperaturas extremamente baixas próximas de Zero grau Kelvin, em Física Nuclear...

Beluz pode ser uma ferramenta ainda mais preciosa e poderosa. Só de imaginar, eu sinto arrepios. A transmissão do pensamento não é feita com ondas eletromagnéticas comuns: pode ser Beluz. Um detector de Beluz pode fazer com que os atuais polígrafos detectores de mentira pareçam coisa de criança. A transmissão de pensamento entre humanos é um fato cientificamente comprovado e até usado por militares.

Eu não quero os direitos autorais de Beluz para mim, nem para minha família. É muito grande demais. Ofereci os direitos autorais à Coroa Sueca e nunca recebi resposta. Se uma grande instituição não assumir estes direitos, como por exemplo uma família real de um país sério, onde parte dos recursos arrecadados serão usados para incentivar a própria Ciência, se não for assim, meus caros senhores, eu me recuso a colaborar e terão que desenvolver por conta própria a tecnologia de Beluz. Certamente algum dia será desenvolvida.
Beluz permitirá ao Homem estudar a antimatéria. Uma bomba de antimatéria será tão poderosa que será capaz fazer estremecer a própria Terra com conseqüências absolutamente imprevisíveis, podendo causar até modificações do seu movimento quer de rotação, de direção do eixo como de translação.
É simplesmente assustador.

Eu não tenho medo de errar. Certamente haverá erros nos meus escritos. O que é alvissareiro. A Física Moderna, para quem conhece sua história, é uma seqüência de erros e acertos. Nunca os homens de ciência erraram tanto, mas os erros sempre conduziram ao caminho certo. O próprio Enrico Fermi, ainda trabalhando na Itália esteve muito perto de resultados que só anos mais tarde foram compreendidos por ele através de artigos de terceiros...

O que me assusta são os meus acertos.

O que me assusta é a falta de físicos, fruto de uma política de conhecimentos reservados e secretos.

Surpreendentemente justamente aqui aparecem os primeiros frutos. Tenho visto um número inesperado de meninos que pretendem se dedicar à Física Teórica. Faz muito tempo que não se vê isso. Eu os vejo com muito carinho e sei que foram influenciados de alguma forma pelos meus estudos. Só por isso meus estudos terão valido a pena!

A eles eu dirijo a minha palavra.

Meus queridos jovens, a Física é uma amiga muito exigente. Não prometo a vocês fortuna e nem mesmo a fama. No entanto a Física pode lhes conceder o Louro mais cobiçado pelos Homens há séculos: a Imortalidade. Quando ninguém mais lembrar quem foi o descobridor do Novo Mundo, quando ninguém mais souber porque o Continente Americano se chama assim, muitos ainda se lembrarão dos nomes dos que fizeram as primeiras descobertas do Cosmos. Não lhes prometo a Fama em vida, porque tudo o que é grande nasce no isolamento e na Humildade. Tem que ser na manjedoura. Logo descobriremos que o Cosmos é Ético. Logo descobriremos a importância da Humildade, da Verdade e da Simplicidade; inimigos da Arrogância, da Prepotência e da Ganância. O conhecimento não o faz melhor do que ninguém, você tem tantos direitos quanto o embrião humano que será sacrificado para o estudo de Célula Tronco. No Cosmos todos somos irmãos, Aqui não há Presente, Passado ou Futuro. Tudo é conhecido, não há lugar para mentiras. Tudo é Belo, não há lugar para a Desordem, para o dissonante, para o Feio. Os próximos anos serão absolutamente decisivos para a História da Humanidade e nós estamos vivendo a História...

Agora faça suas contas. Compare a Terra com um ovo. A crosta da Terra é mais fina do que a casca do ovo.

Dentro da Terra o que existe? Fogo!

Energia que poderia estar há muito tempo disponível com o grau de tecnologia que a humanidade já domina.

Acabamos de aprovar a construção de Angra III no Brasil. Se houvesse no Brasil físicos realmente preparados esta aprovação jamais teria acontecido, tendo em vista o lixo nuclear que ficará e que nenhuma autoridade brasileira está convenientemente informada a respeito. Para ficar em apenas um resíduo, o que fazer do Plutônio, elemento inexistente na natureza do qual não sabemos nos desfazer e cuja única utilidade comprovada é a construção de bombas atômicas? Os físicos que conheciam bem o assunto ficaram velhos e muitos já morreram. Os jovens tem conhecimento muito limitado. A necessidade de reatores nucleares, a rigor, não existe...

Sugiro aos céticos que acham meus escritos fantásticos que os entreguem aos escritores de filmes porque como dizem os italianos "se non è vero è bene trovato".

.........................................................................................
.

Voltar